Textos


Geração Ípsilon ou Zê! 

Eu ando pelo mundo e presto atenção,   
são coisas ditas e reditas,
moenda antiga de bronze,
não move essa geração. 

De quantas provas precisam a se deterem
quantos belos exemplos lhes faltam a convencerem
que a felicidade efêmera, é liquida
e não  está num eletrônico a se fazer

Quem sobre muito conta, e de nada sabe
sampleou no google ideia imprecisa, fugaz
não tem noção de quão inseguro é  a sina
de quem se aventura nessa verdade mordaz

- Que aventura inútil, essa que se propõe a antissocialisar? 
criando duvidosos indivíduos exilados em si,
com seus aparelhos de manuseios rápidos e fáceis de teclar

Protesto contra a falta de conversas nas calçadas,
das noites de luas cheias, minguantes, ou novas, despercebidas
valendo-se de toda solidão disponível em que eles passam,
cuidado! Irmãos, quem passa mesmo é a vida

Queiram pesquisas na rede sim, densas com veracidade
queiram ter na ponta dos dedos a rapidez tenaz,
queiram um inabitável mundo novo a ser explorado,
mas não deixem, nem por um minuto, de lado suas humanidades.

Se você se auto afirma geração Ípsilon ou zê
nasceu depois dos oitenta, ou noventa
talvez seja cedo demais para perceber
que na geração Xis o melhor negócio era viver.

A vida, cometa fustigado que rasga o céu
parece pedra de brilhante a reluzir
como sonhos de uma noite iluminada
vai e se desfaz sem nem mesmo o universo consentir.

E de síntese ficará todo o resto. Nada!

Jaboatão Guararapes, 03.de dezembro de 2017, 00:45hs 






                                                                                                            
Taciano Minervino
Enviado por Taciano Minervino em 13/12/2017
Alterado em 13/12/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários